Será que vão sumir? Veja 6 profissões afetadas pela IA e como virar o jogo

Consultor traz soluções para profissionais melhorarem performance com tecnologia.

Nas últimas semanas, mais um aplicativo que utiliza Inteligência Artificial (IA) viralizou nas redes.

O ‘Lensa’ lançou uma ferramenta que permite a criação de avatares a partir da tecnologia, resultando em imagens realistas com variações de expressões, ângulos e cenários.

Apesar de ser paga, a opção caiu no gosto dos usuários, que prontamente criaram suas versões e publicaram na internet.

A fama do aplicativo gerou uma discussão relacionada ao uso da inteligência artificial e como ela poderá afetar certas áreas profissionais. No Twitter, o consultor de estratégia Brian O’Connor falou um pouco sobre 6 áreas que serão impactadas pela IA e quais mudanças poderão ser implementadas pelos negócios e profissionais para evitar a obsolescência.

A Mercatus traduziu o fio, confira:

1. Serviços pessoais (designer de interiores, arquitetos e planejadores de viagens)

De acordo com O’Connor, já existem ferramentas que criam planos e designs personalizados a partir de inteligência artificial. Uma delas é a Interior AI, uma plataforma online que permite ao usuário carregar uma foto do ambiente, escolher um estilo e gerar automaticamente uma decoração.

Para contornar a situação e não ser prejudicado pela tecnologia, o consultor recomenda que os profissionais passem mais tempo entendendo as necessidades dos clientes, e usem a IA para reduzir o tempo de criação dos projetos.

2. Empresas de consultoria

Brian explica que a inteligência artificial já é capaz de responder perguntas de negócios, como se fossem representantes especialistas, e cita um exemplo: “pergunte a Elon [Musk] como expandir seu negócio online” usando o Character AI.

E como ganhar da tecnologia? O consultor recomenda a inclusão de especialistas em IA na equipe, aplicando aquele conhecimento a uma situação específica de um cliente.

3. Criação de conteúdo

A inteligência artificial permite a criação de artigos estruturados como listas, blogs e newsletters.

O’Connor traz como solução o uso do ChatGPT para fazer brainstorm (tempestade de ideias) de tópicos e para realizar pesquisas de ideias de uma maneira mais rápida.

Ainda de acordo com o consultor, o profissional pode se destacar na área com insights mais profundos, encontrando aplicações exclusivas daquele conteúdo, além de trazer emoção com o storytelling (narrativa).

4. Desenvolvedores

A inteligência artificial também escreve e depura códigos.

Para os desenvolvedores não perderem para a tecnologia, O’Connor recomenda que os profissionais usem IA para tornar o software mais rápido, para depurar o código mais rapidamente, e para escrever em linguagens que não conheçam.

O consultor acrescenta, ainda, que a IA pode ser utilizada para criar iterações de produtos de maneira mais rápida, para resolver melhor as necessidades do cliente.

5. Designers gráficos

Outra área afetada pela inteligência artificial é a de design gráfico, já que a tecnologia pode fazer designs para qualquer pessoa.

Brian O’Connor traz como solução o uso de IA para retornos mais rápidos com os clientes, para que o designer tenha mais iterações e obtenha designs personalizados.

6. Educadores e criadores de cursos

A área da educação também poderá ser impactada com a inteligência artificial, já que alunos podem usar o ChatGPT para aprender de maneira mais rápida, além de obter respostas para perguntas específicas.

Como solução, o consultor diz que os profissionais precisarão concentrar o conteúdo em networking e na aplicação de conceitos, já que as hard skills estão menos relevantes agora, segundo O’Connor.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias para você